Papel Sustentabilidade | Ginástica

O consumo consciente do papel é uma das práticas mais populares entre todas que se aplicam a ações sustentáveis.

Hábitos simples, como imprimir somente o necessário, reaproveitar antigos impressos para “rascunho” e separar esse material para reciclagem são apenas algumas das medidas implementadas para evitar o desperdício em muitas empresas, órgãos públicos, escolas e residências.

Aproximadamente 50% de todo o papel que circula no Brasil é encaminhado para a reciclagem.

O papel pode ser reciclado, em média, por até 10 vezes, devido ao processo ao qual é submetido.

Reciclar papel representa redução nos custos de produção, distribuição de emprego e renda e promove a recuperação de matérias-primas reinseridas no ciclo de consumo.

Para a natureza, representa a preservação de árvores, um recurso natural viral para outros ciclos vivos.
O processo de reciclagem de papel não produz apenas papéis novos: produtos com celulose na composição, como materiais de construção, pisos e revestimentos, plásticos, objetos de decoração e móveis são apenas alguns exemplos de destino final do papel reciclado.

Essa prática também traz outras vantagens:

Economia de água – já que para a reciclagem de uma tonelada de papel são necessários 2.000 litros de água e, para a produção inicial, chegam a ser empregados até 100.000 litros por tonelada.

Economia de energia – o processo utiliza metade da energia que a produção tradicional de papel. A economia pode chegar a 80%, dependendo do processo utilizado para fabricação do papel virgem.

Redução na poluição – as fábricas recicladoras de papel podem funcionar sem grandes impactos ao meio ambiente.

VOLTAR